Edit

Museu do mar

Venha conhecer um pouco da história e do mundo subaquático de uma maneira divertida.

Aberto

Terça – Sexta: 09:00 – 17:00
Sexta – Segunda: 10:00 – 20:00

Siga-nos

Museumar

Edit

Museu do mar

Venha conhecer um pouco da história e do mundo subaquático de uma maneira divertida.

Aberto

Terça – Sexta: 09:00 – 17:00
Sexta – Segunda: 10:00 – 20:00

Siga-nos

Museumar

Museumar

Conheça o CEO do Museu do Mar: Luiz Alonso Ferreira

Nascido em Santos, SP, em 2 de setembro de 1946, o biólogo marinho Luiz Alonso Ferreira é o fundador da Sociedade Museu do Mar e diretor-presidente da entidade desde sua fundação, em 1984. A Sociedade Museu do Mar é uma instituição única no Brasil, de iniciativa privada, tendo como principal objetivo contribuir para o aperfeiçoamento …

Conheça o CEO do Museu do Mar: Luiz Alonso Ferreira Leia mais »

Breve biografia de Carlos Alfredo Hablitzel

Nascido em Basiléia, Suiça, a 15 de janeiro de 1919, Carlos Alfredo Hablitzel foi o fundador do extinto Museu Histórico Naval de São Vicente, cujo acervo passou à guarda da Sociedade Museu do Mar em 1993, encontrando-se desde 2005 em exposição no Museu Marítimo de Santos.  Paralelamente ao desenvolvimento de suas atividades profissionais como engenheiro …

Breve biografia de Carlos Alfredo Hablitzel Leia mais »

Peixe-Leão, bonito mas FEROZ

O perigo que o peixe-leão traz não é somente a destruição da biodiversidade aonde a espécie se torna invasora como no Caribe durante 20 anos, mas também é um perigo ao ser humano devido as toxinas encontradas em seus espinhos que são utilizados para caça, cada espinho possui glândulas que produzem e armazenam o veneno liberado, nem todos os espinhos do peixe-leão possuem veneno, somente os dorsais, pélvicos e anais que possuem as glândulas.

O tubarão mais velho do mundo!

Julius Nielsen e sua equipe dataram um grupo de Tubarões da Groenlandia através de uma tecnologia de radiocarbono, o mais novo do cardume tinha aproximadamente 272 anos, e o animal mais velho do cardume era uma fêmea datada com 512 anos de vida, os pesquisadores acreditam que a maturidade sexual desta espécie seja aproximadamente aos 150 anos.

A Explosão de Halifax

O trágico acontecimento, um dos maiores desastres marítimos de todos os tempos, ocorreu em 6 de dezembro de 1917, em Halifax, na Nova Escócia, Canadá, envolvendo os navios SS Imo e SS Mont-Blanc, este último carregado de explosivos para os campos de batalha da Primeira Guerra Mundial.

A Marinha do Brasil na I Guerra Mundial

Quando a guerra eclodiu, o Brasil ainda era um país essencialmente agrário, cuja economia dependia principalmente da exportação do café. Como o produto não era essencial, as exportações diminuíram, prejudicando o saldo da balança comercial. A situação se agravou com o bloqueio naval alemão, bem como, com a proibição da importação de café feita pela Inglaterra, em 1917, a qual visava reservar mais espaço nos navios a produtos vitais.

A Odisseia

Desde a Antiguidade até a Idade Contemporânea, as relações do homem com o mar foram cantadas por inúmeros poetas.
No canto Il do poema épico “Ilíada”, composto no século VIII a.C. e considerado o marco inaugural da literatura ocidental, Homero relacionou as frotas dos reis gregos, as quais totalizando mil navios, atravessaram o mar Egeu para atacar Tróia.

O encalhe da barca ‘Nanny’

Em 22 de agosto de 2017, um grande recuo de maré em Santos expôs na Praia do Embaré os destroços de uma velha embarcação, despertando a curiosidade da opinião pública quanto a identidade do misterioso navio. Na nova atualização de Diário de Bordo, conheça os primeiros resultados da pesquisa, que será enriquecida com novos estudos.

A Expedição Kon-Tiki

A expedição Kon-Tiki não apenas assinalou um dos maiores feitos da história marítima, mas ainda demonstrou ao mundo a viabilidade da tese do povoamento dos mares do Sul a partir de navegações empreendidas pelos povos da América pré-colombiana. Explore mais em Diário de Bordo a história da célebre expedição que revelou as relações pré-históricas entre a América e a Polinésia.

O Fogo Grego

Doze séculos antes do surgimento do moderno lança-chamas, a marinha bizantina utilizava uma arma incendiaria que cuspia fogo sobre as embarcações inimigas e, queimando seus tripulantes, continuava a arder na superfície do mar. Conheça mais em Diário de Bordo uma das mais temíveis e misteriosas armas navais de todos os tempos.